Início > Alverca > População de costas voltadas para o centro cultural

População de costas voltadas para o centro cultural

DESTAQUE. Muitos habitantes do Bom Sucesso olham para o centro cultural como um lugar “onde não há nada para fazer”. Por isso, não vão lá!

Mário Caritas

O centro cultural passou ao lado de muitos habitantes do Bom Sucesso. “Nunca fui visitá-lo, nunca me deu interesse. Passou-me mesmo ao lado”, afirma Glória Fernandes, 30 anos. De facto, ao passo que os cafés da zona se encontram animados de gente, no novo edifício as horas passam devagar… “Nunca lá fui porque nunca calhou lá entrar. Não moro aqui, tenho é um estabelecimento comercial. Mas também não tenho vida para andar em eventos, tenho quatro filhos para sustentar”, explica José Gonçalves, 50 anos, estucador.

Junto à fachada exterior do edifício encontramos um grupo de homens mais antigos, residentes no bairro. “Quando precisar de lá ir, irei. Por acaso ainda não fui lá ver nenhum espectáculo; não sou contra, nem a favor. Mas também lhe digo que aquilo podia ter sido muito melhor aproveitado”, refere António Mira. Daniel Braga tem opinião semelhante: “Enquanto estiver assim, não vale a pena lá ir. Não temos nada com que nos entreter.” Jerónimo Lopes entrou lá “uma vez para ver folclore” e, daquele grupo, António Cheíssa é mesmo o recordista de entradas: “Já lá fui quatro vezes, sempre para actuar pois pertenço ao Grupo Coral Unidos do Baixo Alentejo. Mas de resto não entro lá, o que é que vou ali fazer? Não há jogos nenhuns… Eles não podiam ter umas mesas com jogos? Prefiro ir para a sede do grupo coral, ali jogo às cartas, ao dominó, etc.”

Opinião mais positiva tem Matias Mouralinho, co-proprietário da popular “Tasca dos Gémeos”, situada naquela rua. “Costumo lá ir beber o café e procuro ir quando há festas e espectáculos. Penso que se as pessoas não vão mais vezes talvez seja por falta de divulgação, ou então porque as pessoas ainda não estão muito viradas para isto, já que o edifício até tem bons espaços ao ar livre onde se pode conviver.”

Carmina Augusto, uma das habitantes mais antigas da zona, acrescenta: “Já lá fui ver espectáculos e gostei. Mas acho que as pessoas se desligam de tudo o que se relacione com o Bom Sucesso, quando este bairro pode ser tão bom ou melhor que outras zonas. Mas, como é Bom Sucesso, as pessoas colocam de lado. A mentalidade já devia ter mudado porque estamos noutra época e algumas mentalidades estão atrasadas.”

Categorias:Alverca
  1. Joaquim Lopes
    11/04/2010 às 14:53

    Errado…
    Há imenso que fazer no CSBS, desde que se vejam as iniciativas como a de ontem, dia 10 de Abril e outras que por lá têm acontecido como acontecimentos culturais importantes. Não esquecendo os espaços que o Centro tem dedicados ao estudo como a Biblioteca e os espaços abertos e ainda as diversas salas já ocupadas com outras actividades como é o exemplo da sala da Associação de Aeromodelismo. Dêem-se vivas a quem organizou o Café Concerto e vivas para que continuem nesse sentido como uma forma de dinamizar o espaço e manter um local de encontro entre as diversas gerações como foi o caso…

    Bem Hajam

    Joaquim Lopes

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: