Início > Alverca > Alverca inaugura monumento ao lagar

Alverca inaugura monumento ao lagar

Adriano Gabriel

Obra ilustra memória da produção de azeite.

lagarUm memorial ligado à história do azeite, em Alverca, foi inaugurado no passado sábado. A obra de arte, representando um lagar, fica situada na antiga Quinta das Drogas, mais propriamente no cruzamento da Rua da Indústria com a Rua da Juventude, em frente ao Colégio José Álvaro Vidal da Fundação Cebi, onde antigamente existia um olival.

A população mostrou-se agradada com a obra e o presidente da junta, Afonso Costa, afirmou que “mais algumas obras irão surgir por toda a freguesia, não só para humanizar os espaços mas também para honrar e perpetuar a memória histórica de um passado recheado de sentido”.

Referindo-se ao valor patrimonial do monumento, o autarca garantiu que a sua mais-valia para a cidade é bem mais próspera do que o seu custo; ao mesmo tempo que convidou a população a usufruir do arranjo urbanístico envolvente, que agora é colocado à sua disposição.

Luís Vicente, filho do proprietário do último lagar de azeite em laboração em Alverca, proferiu uma interessante oração de sapiência sobre a problemática do olival, afirmando que “a oliveira dá-nos tudo – lenha, sombra, gordura vegetal, vida, etc. – e tão maltratada é”.

Categorias:Alverca
  1. Xira
    22/04/2009 às 09:16

    “Um memorial ligado à história do azeite (…)”
    “A obra de arte, representando um lagar (…)”
    Pensava que isto é uma daquelas coisas que se adquirem numa qualquer feira agrícola, mas percebi agora que é um “Memorial”, uma “Obra de Arte”… muito bem!
    Podemos então considerar que é uma Obra de Arte Dadaísta, tal como o Urinol do Marcel Duchamp, podemos então dizer ao mundo, que a junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo entendeu em 2009 o conceito do “Ready Made”, isto é realmente uma Autarquia “muito-à-frente”…

  2. Rui Perdigão
    22/04/2009 às 00:19

    Podem também ir fazendo um monumento às aves: qualquer dia acabaram-se as salinas de Alverca.
    Porque estão a ser aterradas pela CMVFX?

  3. Paulo Gomes
    21/04/2009 às 18:19

    “Referindo-se ao valor patrimonial do monumento, o autarca garantiu que a sua mais-valia para a cidade é bem mais próspera do que o seu custo (…)”

    É pena que este raciocínio não seja extensivo a outras obras de que a freguesia bem precisa. Como exemplo, refiro a simples colocação de pilaretes para impedir o estacionamento de automóveis no passeio, na curva onde foi colocado este monumento.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: